quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Meu amor me ensina a andar de bicicleta,

o equilíbrio delicado da aventura.


Ele segura firme e me ampara

quando hesito e ameaço a queda.


O vento no rosto, o chão fugindo sob os pés,

tudo me engole em vertigens.


Quando, cansados, deitamos à sombra de uma árvore,

as nuvens tontas de nossa festa na relva,


sou eu quem ensina, professor aplicado,

a verdadeira arte: de se qui li brar-se.

:

:

:



5 comentários:

Gerana Damulakis disse...

Muito bom, querido amigo. Bj.

Marcus Vinícius Rodrigues disse...

obrigado, Gerana. Falo do querido e do amigo, pois é recíproco.

Fátima Lima disse...

Belo e delicioso como o amor...

Marisete Zanon disse...

Nem mais louco, nem mais Estranho que o meu...digo do meu blog...Gostei daqui, volto sempre! Estou seguindo...
esmaques pra ti!

Marcus Vinícius Rodrigues disse...

Bom tê-la por aqui, Marisete. obrigado. vou ver lá o estranho...