segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Amor marinheiro

Meu amor é marinheiro

e não faz de mim porto qualquer

onde larga seus desejos.


Nem porto sou sequer,

que de natureza fugidia

também eu sou feito.


Mais que o mar e suas correntes,

submarinos quereres me navegam

ao mais fundo, abissal, leito.


De nossos encontros, eu e meu amor,

nascem borrascas incontroláveis,

maremotos, gigantes vagas.


Eu, o mar, ele, o barco altivo

que resiste e cede, afunda e emerge

entre o singrar e o naufrágio.


Meu amor capitaneia e decide

contra a onda sísmica, eu, que

sobre o barco arrebenta virgem.


Os céus se aproximam, precipitam raios,

toda a amplidão por todos os lados

se debruça a ver-nos enfim amar.


E, então, tudo acalma.

barco e oceano se reconciliam

em marulhos e carinhos e beijos.


Retorno ao fôlego compassado

qual maré respirando à costa

e ele volta ao caminho traçado.


Volta à praia, ao seguro porto da casa,

leva sorrisos pelo corpo, gargalhadas,

todas as risadas que pude lhe dar.
.
.
.
.
.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Vésperas

Meu amor não vem todos os dias

e vem de surpresa e atrasa,

mas vem perfumado o meu amor,

a melhor roupa bem alinhada.


Não sei quem alisa o linho que amasso,

quem lava e passa e engoma e guarda.

Não sei quem finge que não vê minhas marcas

no corpo que lembra minha paixão rasgada.


Quem enfeita o Natal de meu amor?

Quem assa bolos de aniversário para o meu amor?

Não sei quem cuida de suas febres... lhe dá presentes.

Nunca acordei de beijos o meu amor no dia da nova idade


Vivemos apenas as vésperas eu e meu amor,

longas vésperas de saudades.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Os passeios do amor

Hoje amei sem dores

um amor que parece passar,


mas que indecide a marcha

e volta e passa e repassa.


Amei seus passeios em mim,

os anseios de ir e vir.


Como fui feliz faz pouco,

eu o caminho deste outro.


Amei, enfim, sua pausa,

mas ele não ficará, eu sei,


o meu amor.

fotos da escultura L'Amour et Psyché, de Antonio Canova

Minutos de ironia

.

.

.

.

7

DEMOCRACIA II

A democracia deve ter sido inventada pelos chineses. É preciso uma paciência de Buda.

.

.

.

.

.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Roteiro da poesia brasileira, volume dedicado a quem surgiu depois de 2000, organizado por Marco Lucchesi (eu incluído)
Agenda 2010 da escrituras, com poetas baianos (eu incluído)

domingo, 4 de outubro de 2009

Money, in Cabaret: Liza Minelli and Joel Grey

video

Money makes the world go around

The world go around

The world go around

Money makes the world go around

It makes the world go 'round.

A mark, a yen, a buck, or a pound

A buck or a pound

A buck or a pound

Is all that makes the world go around,

That clinking clanking sound

Can make the world go 'round.

Money money money money money money

Money money money money money money

Money money money money money money

Money money

If you happen To be rich,

And you feel like a

Night's enetertainment

You can pay for a

Gay escapade.

If you happen To be rich,

And alone, and you

Need a companion

You can ring-ting-A-ling

for the maid.

If you happen To be rich

And you find you are

Left by your lover,

Though you moan and you groan

Quite a lot,

You can take it On the chin,

Call a cab, And begin

To recover

On your fourteen-Carat yacht.

Money makes the world go around,

The world go around,

The world go around,

Money makes the world go around,

Of that we can be sure.

(....) on being poor.

Money money money- money money money

Money money money- Money money money

Money money money money money money

Money money money money money money

Money money money money money money

If you haven't any coal in the stove

And you freeze in the winter

And you curse on the wind

At your fate

When you haven't any shoes

On your feet

And your coat's thin as paper

And you look thirty pounds

Underweight.

When you go to get a word of advice

From the fat little pastor

He will tell you to love evermore.

But when hunger comes a rap,

Rat-a-tat, rat-a-tat at the window...

At the window...

Who's there?

Hunger!

Ooh, hunger!

See how love flies out the door...For

Money makes The world...

...Go around

The world...

...Go around

The world...

...Go around

Money makes the

The world...

...Go around

That clinking

Clanking sound of

Money money money money money money

Money money money money money money

Get a little,

Money money

Get a little,

Money money

Money money

Money money

Money money

Money money

Mark, a yen, a buck

Get a little

Or a pound

Get a little

That clinking clanking

Get a little

Get a little

Clinking sound

Money money

Money money...

Is all that makes

The world go 'round

Money money

Money money

It makes the world go round!

Abraço
desenho feito no celular e alterado no photoshop

\
/
\
/
\

sábado, 3 de outubro de 2009

Arte ou


Exercício de

dicção para

Liza Minelli







Manet Manet Manet Manet

Manet Manet Manet Manet

Manet Manet Manet Manet

Manet Manet Manet Manet

Manet Manet Manet Manet

Manet Manet Manet Manet

Manet Manet Manet Manet

Manet Manet Manet Maney

Monet Monet Monet Monet

Monet Monet Monet Monet

Monet Monet Monet Monet

Monet Monet Monet Monet

Monet Monet Monet Monet

Monet Monet Monet Monet

Monet Monet Monet Monet

Monet Monet Monet Money