domingo, 23 de janeiro de 2011

FAZIMENTO

Tece o fio,

prepara a alma,

cuida que esteja pronta

para a feitura.


Trança a malha,

ama a trama

que o prazer é

o fazimento.


Ponto por ponto

sem estar findo,

tecido da vida

por se fazer.

In pequeno inventário das ausências, Fundação Casa de Jorge Amado/Copene, 2001.

3 comentários:

Por que você faz poema? disse...

O fazimento é mesmo um grande prazer.

O que Cintila em Mim disse...

Que o tecido tenha trama e que a trama o sustente.

André Guerra disse...

Lindo! Que tradução!

Abraço

André Guerra