quarta-feira, 15 de abril de 2009

Resenha na Verbo21

Saiu essa resenha de Wladimir CaZé sobre o 3 vestidos e meu corpo nu na Verbo21(http://www.verbo21.com.br)

Vejam os primeiros parágrafos.........................

abril de 2009

O vestido de dançar

 

Por Wladimir Cazé

 

Sample Image

 

Em "3 vestidos e meu corpo nu" (P55 Edições, 2009, 50 páginas), primeiro livro de contos de Marcus Vinícius Rodrigues, há uma forte identificação do narrador com a figura feminina, que é o ponto de partida para a articulação do texto. O tecido do vestido de festa que a personagem de "A mais bela flor da alma" usa em um momento significativo de sua vida é feito do mesmo tecido de que são feitas as palavras com que a menina tenta apreender o seu mundo subitamente transtornado.

 

O fim da infância é évocado de maneira tátil: "Doía-me na barriga, bem lá embaixo, uma dor fina e desconhecida que às vezes me fazia torcer o vestido que encurtava" (p. 6). Pouco depois, outras percepções são sinestesicamente trazidas à flor da página, perante a descoberta precoce e quase simultânea do amor e da morte .........................


Leiam mais na VERBO21:

http://www.verbo21.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=383&Itemid=136

0

0

0

0

0


6 comentários:

Katia disse...

Oi, Marcus, sempre passo aqui sem deixar comentários. Acho seu blog bacana, bem autêntico e interessante. Um beijo

ediney disse...

boa sorte no seu primeiro livro

Marcus Vinícius Rodrigues disse...

Obrigado.
Obrigado

Georgio Rios disse...

Li a resenha do Cazé e fiquei ainda mais curioso para ler o livro.Parabéns.

Renata Belmonte disse...

Marcus, querido,
Passei para deixar um beijo. Ótima resenha do Cazé!
Bjs

Jamille disse...

Estou realmente interessada nas cousas que você escreve (escreveu). Sabe esses achados, quando se vê mais do mesmo todo o tempo, quando a garimpagem na livraria se torna tarefa ainda mais desgastante? E aí me deparo (acho que foi na Muito) com essa frase: caí na prosa como o albatroz de Baudelaire. Puxa, quero mesmo ler essa prosa. Agora tenho que saber onde encontrar os livros aqui em Salvador.